Reumatismo também é comum em jovens e crianças

Sempre que falamos de doenças reumáticas, pensamos logo nos idosos, certo? Não deveria ser. É natural que as pessoas associem esse grupo de doenças àquelas que são mais comuns na terceira idade, afinal as principais causas são o desgaste de cartilagens, enfraquecimento muscular e perda de massa óssea – circunstâncias naturais ao corpo humano com o passar dos anos.

Entretanto, você precisa saber que o reumatismo não é exclusivo da população adulta. Milhares de crianças e jovens também são acometidos por essas enfermidades, como a artrite idiopática juvenil (AIJ), febre reumática (FR), lúpus eritematoso sistêmico (LES), dermatopolimiosite (DMP), esclerodermia (ESP), fibromialgia juvenil e as vasculites.

. Como surgem os primeiros sintomas nas crianças?

Os pais devem ficar atentos às mudanças de comportamento dos filhos. Se a criança começar a se sentir prostrada, abandona as atividades que costuma fazer com frequência e apresenta vermelhidão no corpo e fraqueza muscular já são fortes indicativos que está com alguma doença reumática. Portanto, logo que observar esses sintomas, a recomendação é consultar um Reumatologista.

Em muitos casos, o diagnóstico tardio ocorre pela dificuldade dos pais em associar os sintomas ao reumatismo, deixando os pequenos passarem por diversos especialistas de outras áreas, antes de chegar a um Reumatologista.

. Como que é feito o tratamento?

É importante lembrar que existem mais de cem tipos de doenças reumáticas e que para cada uma delas há um tratamento específico. Contudo, na maioria das vezes, o recurso terapêutico usado requer o uso de anti-inflamatórios, antibióticos e medicamentos para interromperem a evolução da doença.

Você sabia que a medicina ainda lança mão da fisioterapia e da psicoterapia para complementar o tratamento medicamentoso e evitar incapacidade física progressiva.

Após o diagnóstico, é recomendado às crianças não fazerem muito esforço – em algumas doenças, como a febre reumática, podendo ser suspensa de aulas de educação física, por exemplo, por até três meses. Assim, os médicos conseguem perceber como que a doença está evoluindo e como que o organismo responde ao tratamento.

. Existe cura para as doenças reumáticas?

Por não se tratar de uma única doença e, sim, de um grupo com mais de cem patologias, não é possível afirmar se existe ou não uma cura para o reumatismo. As doenças decorrentes de traumas, esforços excessivos ou por agentes infecciosos (bursite, tendinite e febre reumática, entre outras) são curáveis com tratamento medicamentoso, repouso e, em último caso, cirurgia.

As doenças autoimunes e degenerativas (artrose, lúpus e esclerodermia, entre outras), por sua vez, não podem ser curadas, porque provocam desgastes em partes estruturais do corpo que não podem se recompor. Nesses casos, o tratamento serve para impedir a evolução da doença.

O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento.

. Como se prevenir?

Existem alguns fatores de risco para as doenças reumáticas, sendo que os principais são o sedentarismo, obesidade, alimentação irregular e alta ingestão de gordura, tabagismo e consumo excessivo de álcool. Além disso, saiba que os fatores psicológicos e emocionais, como a ansiedade e o estresse, também podem aumentar as chances de acometimento por alguma doença reumática.

Desse modo, a melhor maneira de se prevenir é mantendo uma alimentação e hábitos saudáveis. E, logo que sentir os primeiros sintomas característicos de alguma das doenças reumáticas, procurar um especialista para que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *