Remissão em doenças reumatológicas

O termo remissão na medicina serve para nomear o período em que uma doença crônica apresenta uma redução acentuada em seu grau de evolução com evidentes sinais de inatividade. Entretanto, por se tratar de uma doença crônica, não é possível desconsiderar o risco de recidiva, quando acontece o retorno.

Cada doença tem um tempo determinado de ausência de sinais detectáveis em exames clínicos, laboratoriais e de imagem para identificação da fase de remissão.

Os médicos reumatologistas utilizam métricas estabelecidas por diretrizes nacionais e internacionais como auxílio para identificar a intensidade da atividade inflamatória da doença em determinado momento. A atividade da enfermidade pode ser classificada como alta, moderada, baixa e em remissão.

Alcançar a remissão é o objetivo principal das pessoas portadoras de doenças reumatológicas por representar uma diminuição nos sintomas, atenuação do tratamento médico e consequente melhora na qualidade de vida,.

Como alcançar a remissão?

Não há de fato, uma receita sobre como alcançar a remissão das doenças reumatológicas. Contudo, as pesquisas apontam itens importantes que impactam o sucesso do tratamento, como o diagnóstico precoce e o tratamento correto e direcionado.

Confira abaixo alguns fatores importantes para o controle dos sintomas:

  • Seguir o tratamento corretamente

Os medicamentos fazem parte da rotina das pessoas com doenças reumatológicas e, dependendo do quadro e estágio, é necessária a combinação de imunossupressores, anti-inflamatórios, analgésicos e antidepressivos. 

Muitas pessoas, por não perceberem melhoria no quadro dentro do tempo esperado, se esquecem de tomar os medicamentos, diminuem as doses sem orientação médica ou abandonam completamente a medicação, comprometendo a saúde, o tratamento e a evolução da doença.

O sucesso do tratamento também depende da disciplina em seguir as orientações médicas além dos medicamentos, como mudança de dieta, estilo de vida e prática de exercícios físicos.

  • Acompanhamento médico contínuo
acompanhamento medico

É importante médico e pacientes estabelecerem uma relação de confiança e respeito entre si. As dúvidas, queixas e expectativas em relação ao tratamento devem ser relatadas e esclarecidas.

  • Equipe médica multidisciplinar
equipe medica multidisciplinar

Uma das características das doenças reumatológicas autoimunes como o lúpus e a artrite reumatoide é o comprometimento de outros órgãos e tecidos do corpo, como rins, pulmão e coração.

O ideal é a inclusão de especialistas como endocrinologista e cardiologista e, eventualmente, um nutricionista na equipe para um acompanhamento global.

  • Práticas integrativas e complementares
Práticas-Integrativas-e-Complementares

A importância da adoção de recursos terapêuticos alternativos para tratamento, especialmente das doenças que provocam dores contínuas, ganhou mais adeptos na comunidade médica e científica.

A espiritualidade, relação do indivíduo com o divino, é considerada um estado emocional capaz de aumentar o bem-estar e o conforto psicológico, complementando o tratamento positivamente.

Yoga, reiki, meditação e musicoterapia são exemplos de terapias alternativas.

  • Estilo de vida saudável

A prática de atividade física moderada é importante para a melhoria da qualidade de vida. O sedentarismo agrava o quadro das doenças reumáticas.

O programa de atividade desenvolvido conforme as necessidades individuais proporciona o fortalecimento muscular e cardiovascular. O sono de qualidade e a adoção de uma dieta equilibrada contribuem para a diminuição da fadiga e a redução das inflamações articulares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *