Meninas e Reumatismo: como é a vida de adolescentes com doença reumática?

A puberdade em si é um período diferente na vida de toda menina. É nesta fase que tudo se aflora, juntamente com as novidades da idade teen. O ciclo menstrual, hormônios, sentimentos e vários fatores envolvem esse momento. Para completar esse processo divertido e desafiador, também existem algumas adolescentes com doença reumática.

Engana-se quem pensa que o reumatismo atinge apenas adultos e idosos. As crianças, adolescentes e jovens também estão sujeitos a apresentarem algum tipo de patologia reumática. No Brasil, ainda não existem números exatos, mas nos EUA, estima-se 250 mil crianças e adolescentes com reumatismo.

Por motivos ainda desconhecidos, algumas doenças reumáticas, como a artrite reumatoide juvenil, apresentando dores e inflamação crônica nas articulações e, algumas vezes, febre e erupções, afetam as garotas em sua maior parte.

A recomendação da Sociedade Brasileira de Reumatologia é a prática de exercícios físicos com orientação médica. A atividade é um caminho altamente benéfico para diminuir o problema entre crianças, embora não seja o bastante. Dormir por pelo menos oito horas seguidas e manter atenção em relação à postura também são hábitos importantes.

A Rotina Muda?

Em parte sim. As atividades rotineiras se tornam cada vez mais difíceis para execução. Para uma adolescente com reumatismo, uma aula de educação física pode ser dolorosa.

Entretanto, vale reforçar, a necessidade em seguir todas as orientações do médico reumatologista, inclusive a prática, ou não, de exercícios físicos. Outro ponto na rotina ainda mais difícil está nos afazeres domésticos. Não apenas adolescentes, mas para qualquer pessoa com reumatismo, lavar um copo, varrer a casa, arrumar a cama etc são tarefas geradoras de dor e desconforto em diversas partes do corpo.

Ter paciência e dosar a disciplina são essenciais para conviver com adolescentes com doença reumática.

E o Tratamento, Como é Feito?

O tratamento de uma adolescente com reumatismo é bem semelhante à das outras pessoas. A diferença está na relação com a idade, ou seja, meninas de até 12 anos, fazem acompanhamento com pediatra.

Assim como entre adultos, a doença afeta outras partes do corpo e requer um encaminhamento a outras especialidades, como no caso da febre reumática. A doença pode atingir o coração e outros órgãos do corpo e a pessoa deve consultar também um cardiologista.

Dentro dos limites, uma adolescente com reumatismo consegue viver normalmente, assim como as outras meninas da mesma faixa etária. A recomendação é seguir corretamente as orientações e restrições médicas, prosseguindo com a medicação adequada e mantendo as consultas periódicas com o especialista para, na medida do possível, garantir uma vida habitual e saudável, como os amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *