JORNADA MINEIRA DE REUMATOLOGIA: CONFIRA AS NOVIDADES NO ÚLTIMO DIA DE DEBATES E PALESTRAS

A Sociedade Mineira de Reumatologia promoveu a 12ª edição da “Jornada Mineira de Reumatologia” com o tema “Abordagem Multidisciplinar da Reumatologia”, apresentando as novidades em tendências, tratamentos e tecnologia, aplicadas no estudo sobre as doenças reumáticas.

A síndrome do anticorpo antifosfolipídeo, a necessidade do tratamento multidisciplinar em pacientes reumáticos e a relação entre a alimentação e as doenças autoimunes foram alguns dos temas tratados na XII Jornada Mineira de Reumatologia, encerrada em 20 de março.

A programação intensa apresentou assuntos pertinentes, debatidos por especialistas altamente qualificados. O conteúdo do último dia incluiu palestras e seminário com diferentes reumatologistas em mesas como “Espondiloartrites”, composta por Roberto Ranza, Fernanda Porto e Francisco Penna; “Síndrome do anticorpo antifosfolipídeo”, com os palestrantes Fabiano Brito e Gustavo Balbi e “TGI e doenças autoimunes”, com Gustavo Resende e Carla Dionello.  O encerramento da XII edição da jornada teve a presença da presidente da Sociedade Mineira Reumatologia, Mariana Peixoto Guimarães.

Os especialistas Roberto Ranza, Chefe do Serviço de Reumatologia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC UFU) e coordenador do programa de Residência de Reumatologia da Faculdade de Medicina da universidade (FAMED UFU) participou da primeira mesa e abordou as evidências dos medicamentos modificadores do curso da doença (MMCDsc) na Artrite Psoriásica, concluindo que as substâncias devem ser usadas na hora e na dose certas, otimizando, assim, o tratamento em pacientes precoces. Os demais palestrantes ainda falaram sobre diagnóstico e tratamento do acometimento oftalmológico nas doenças reumáticas, mostrando a necessidade do caráter multidisciplinar para os diagnósticos e tratamentos.

Houve ainda a palestra sobre o alvo terapêutico centrado no paciente com AR, ministrada por Rina Dalva, Diretora Técnica do Serviço de Reumatologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo. Ela citou os importantes avanços no tratamento da artrite reumatoide nos últimos anos, explicando que o uso de metotrexato difundiu-se e surgiram novos medicamentos interferindo diretamente nos processos biológicos que mantêm a inflamação ativa e determinam a cronicidade da doença.

Além das três mesas e da palestra de Rina Dalva, a programação do último dia da Jornada ainda contou com seminário para discutir a relação entre a alimentação e as doenças autoimunes, ministrado pela reumatologista chefe do Hospital Central do Exército no Rio de Janeiro, Carla da Fontoura Dionello. Ela enfatizou a necessidade da manutenção de uma dieta balanceada para o controle do problema e o aumento da imunidade no organismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *