Espondilite anquilosante, sono e qualidade de vida

A espondilite anquilosante é uma doença autoimune que causa inflamação na coluna vertebral e ataca as grandes articulações do corpo. Ela é conhecida por provocar dores intensas na lombar que aumentam no período de repouso, comprometendo muito a qualidade do sono em decorrência das dores ou por dificuldades de se acomodar na cama, impactando diretamente na qualidade de vida.

Você sabe a relação da espondilite anquilosante com o sono? A seguir, respondemos essa pergunta com dicas para melhorar o repouso.

O que é espondilite anquilosante?

Uma doença reumática crônica da família das espondiloartrites  que  inflama os tecidos conjuntivos da coluna vertebral, tornando-a rígida e inflexível, podendo ainda comprometer a mobilidade, atacando as grandes articulações, como ombros, quadris e joelhos, entre outras. Os principais sintomas são as dores nas costas, chamadas de lombalgia, constantes e que ficam mais intensas enquanto se está de repouso, apresentando rigidez nas costas e coluna, principalmente, ao acordar, fadiga e insônia.

É uma doença sem cura e mais comum entre homens de 20 a 40 anos. A falta de um tratamento adequado acarreta problemas de mobilidade por provocar o crescimento dos ossos das vertebras da coluna, formando pontes, sendo que, em alguns casos, podem se fundir, impedindo o movimento e causando o que se chama de anquilose.

Leia mais sobre a espondilite anquilosante.

Qual a relação da espondilite anquilosante com o sono?

A relação da espondilite anquilosante com o sono é bastante conturbada. A estimativa de estudos¹ é que de 54% a 64% das pessoas com essa doença têm distúrbios do sono. A situação acontece por diversos fatores, como a dor noturna e a rigidez das articulações pela manhã. Quem tem a doença reclama da má qualidade do sono pela dor, que piora  em período de repouso. Em casos com estágio mais avançado, ocorre deformações na coluna e uma dificuldade para encontrar uma posição confortável de repouso, causando incômodos e insônia.

A qualidade do sono impacta diretamente na qualidade de vida, inclusive, levando a depressão. Mas, neste caso, não se sabe ao certo se a depressão é um dos efeitos provocados pela má qualidade do sono ou vice-versa. Acaba por ser criar uma relação de “looping” para as pessoas que sofrem com as duas doenças.

De fato, quem tem espondilite anquilosante requer um acompanhamento para melhorar a qualidade do sono e, consequentemente, de vida, evitando a fadiga e o cansaço excessivo e constante.

Espondilite Anquilosante e a fadiga

Um dos sintomas mais  presentes está nas dores lombares e, sem dúvida, a fadiga. Um estudo da National Center for Biotechnology Information,  em 2015², revelou que mais de 70% das pessoas com essa doença relatam sofrer com a fadiga.

A fadiga pode ser causa de diversos fatores, como as inflamações que fazem o corpo gastar mais energia para combatê-las e, também, nos casos avançados em que as possíveis deformidades na coluna obrigam os músculos a trabalharem mais ao se manterem retos e alinhados. A má qualidade do sono também causa a fadiga.

O que fazer para dormir melhor?

Não existe uma receita para garantir noites de sono tranquilas e sem dores, mas alguns métodos estão disponíveis para ajudar nessa situação.

Primeiramente, é muito importante estabelecer uma rotina com horários para dormir e acordar, tendo consciência que descanso completo requer 8h de sono. É indicado também deitar de bruços por 20 minutos, enquanto se prepara para dormir e após acordar. Contudo, pode ser que nos primeiros dias, não seja possível ficar mais de 5 minutos sem sentir dores e, nesse caso, a recomendação é colocar um travesseiro entre o tórax para alinhar a coluna.

Outro cuidado para uma boa noite de sono é a preocupação com o colchão. A indicação  é usar um colchão firme e sem fissuras para ajudar no alinhamento da coluna. A recomendação também é usar travesseiros para alinhar a coluna, deitando de lado, de bruços ou de costas.

Os alongamentos são uma dica preciosa para quem sofre para dormir por causa da espondilite anquilosante, pois alonga as articulações rígidas no período de repouso. Faça alongamentos antes de dormir e ao acordar. A prática de exercícios físicos também diminui as dores, sendo indispensável para quem possui espondilite anquilosante.

Deve-se ter atenção com a prática e evitar cafeína no fim da tarde ou o consumo excessivo de bebidas alcóolicas. A recomendação é sempre que estiver com algum problema para dormir, consultar um médico Reumatologista para relatar a dificuldade e avaliar a necessidade de um tratamento medicamentoso.

FONTES:  ¹ Sleep disturbance in Moroccan patients with ankylosing spondylitis: Prevalence and relationships with disease-specific variables, psychological status and quality of life

² Fatigue assessment and its impact in the quality of life of patients with ankylosing spondylitis

Qualidade do sono em pacientes com espondilite anquilosante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *