Tendinite devido ao uso do celular na quarentena

A tendinite é apenas mais um dos problemas de saúde desencadeados durante a quarentena. Enquanto se evita outra doença grave, a COVID-19, é preciso ficar alerta.

O celular passou a ser o companheiro de muitas pessoas durante o isolamento social. A tecnologia de uma forma geral, videogames, notebooks, plataformas de leitura e streamings, garantem entretenimento e distração em meio às incertezas da quarentena.

A prática de home office, trabalho remoto adotado por muitas empresas para preservar a saúde de seus trabalhadores, impulsionou o uso dos celulares e notebooks em jornadas de trabalho, muitas vezes, maiores que as praticadas presencialmente e sem correta adaptação do ambiente para o trabalho.

Passar tantas horas em meio a tecnologias, praticando o que se conhece como “esforço repetitivo”, como a digitação constante, o manuseio do celular por várias horas ininterruptas, esse uso excessivo, pode resultar em problemas como dores musculares, cansaço na visão e a tendinite.

Afinal, o que é tendinite?

É a inflamação ou lesão do tendão, provocando dor constante e inchaço, em várias partes do corpo, sendo as mais frequentes no ombro, pulso, joelho e tornozelo.

O tendão é a fibra responsável por unir o músculo ao osso, como uma corda, responsável pela transmissão da força de contração muscular necessária para o movimento. Com os tendões comprometidos pelos excessos e sobrecarga, as pessoas com tendinite têm dificuldades e, em alguns casos, impossibilidade para executar  certos movimentos, como digitação, mexer no mouse do computador e segurar objetos comuns do dia a dia, como um copo d’água e, até mesmo, o aparelho celular.

A doença é silenciosa e os primeiros sinais ocorrem com uma dor localizada, que vai e volta, geralmente quando o movimento é executado. Em pouco tempo, afeta também toda região ao redor do tendão sobrecarregado e, sintomas como dormência, formigamento, dor ao movimentar e rigidez do local acometido, são sentidos com muita frequência.

A doença não é uma descoberta recente da ciência e também não acomete apenas atletas. A tendinite se enquadra como Lesão por Esforço Repetitivo, popularmente conhecida como LER, que, antigamente, era motivo de afastamento do trabalho e aposentadorias de pessoas muito jovens. Hoje, a doença é tratada com medicação e fisioterapia.

Prevenção

A doença é resultado da sobrecarga nos tendões e é importante atenção aos fatores de risco. A principal medida é a prevenção, evitando movimentos repetitivos e abusos em relação ao uso do celular, computadores e videogames. Fazer alongamentos frequentes, manter uma postura adequada, mesmo estando em casa. A prática de  exercícios físicos de maneira incorreta ou em excesso contribui para o surgimento das tendinites.

Dicas

Sobre o uso de celular:

Evite passar muito tempo segurando na mesma posição o aparelho. Muita gente prefere ver séries e filmes na privacidade do celular e, se for o seu caso, escolha tripés de celulares que são baratos e fáceis de encontrar. Com o tripé de celular, você descansa toda a musculatura do braço e ombros.

Caso não seja possível, faça pequenas pausas, alongue os dedos e os braços sempre que possível.

Para o Home Office:

Escolha uma posição confortável para o trabalho diário, observando o alinhamento da coluna, evitando ficar curvado ou debruçado, jamais deitado. O notebook ou computador deve ficar na altura confortável para a vista e os braços, sendo que os pés devem ficar descansados no chão e as pernas com movimento livre.

Faça pequenas pausas, se alongue e caminhe pela casa para estimular a vascularização e a lubrificação de da musculatura e articulações. Ficar na mesma posição por um grande período de tempo prejudica a saúde do corpo em geral.

As dicas são para deixar sua vida mais leve e livre de problemas de saúde que comprometam o seu futuro. Mantenha o seu corpo em movimento. Em caso de sintomas, procure ajuda médica. Veja também: Uso Excessivo do celular causa dores e pode desenvolver doenças em jovens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *