Tendinite: como aliviar a dor?

A tendinite afeta uma a cada cem pessoas no mundo, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo conhecida como reumatismo das partes moles por inflamar ou irritar um tendão (parte final do músculo, como uma corda fibrosa fixando os músculos aos ossos). O tendão transmite a força de contração muscular necessária para mover um osso.

O problema causa dores intensas nos tendões e até em outras partes do corpo. Felizmente, a tendinite não provoca deformações como a artrite, por exemplo. A Sociedade Brasileira de Reumatologia classifica a patologia conforme o local em que as dores são mais intensas:

  • Entesite – tendinite de inserção
  • Tenossinovite – inflamação da bainha sinovial tendínea
  • Peritendinite – inflamação da junção músculo-tendínea
  • Tendinite Ossificante – cronificação da inflamação com depósito de cristal de hidroxiapatita.

As tendinites são bem semelhantes às bursites, sendo que a inflamação no tendão é resultado de má postura e excesso de movimentos repetitivos, como uso de videogame, celular, etc.

Sintomas  

A patologia afeta, principalmente, as nádegas, ombros e dedos das mãos, sendo que os sintomas e consequências são distintos entre as pessoas. Quer saber mais sobre o que a reumatologia trata? Clique aqui e confira!

Os sintomas mais comuns são o inchaço local, dor, principalmente à noite e rigidez.

Existe Alívio Para a Dor?

As dores podem ser aliviadas com tratamento medicamentoso, fisioterapia, exercícios leves e cirurgia, em alguns casos. O repouso articular é a recomendação principal com o afastamento da causa e de atividades que levem ao agravamento. Um adequado aquecimento prévio e cuidados com a postura são fundamentais. O uso de “splints” (talas de plástico) na área afetada, como imobilização e calor úmido, entre outras modalidades de terapia física, melhoraram a dor aguda.

O tratamento médico auxilia no alívio e, até mesmo, na inibição total das dores. A automedicação/tratamento pode agravar os sintomas e gerar uma progressão contínua da doença.

Qualquer sinal diferente, a recomendação é procurar atendimento médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *