Engordar ou emagrecer, como as doenças reumáticas afetam o metabolismo?

Se você sofre com doenças reumáticas, como artrite, gota e fibromialgia, provavelmente, já se perguntou se o excesso de peso prejudica de alguma forma e se emagrecer fará com que as dores parem. Bem, algumas dessas doenças não estão ligadas diretamente ao peso, mas existem dois fatores que influenciam bastante: alimentação e sedentarismo. Logo, é possível deixar claro que o reumatismo não engorda (pelo menos não por si só), então, continue lendo para entender melhor como as doenças reumáticas afetam o seu metabolismo.

Não é novidade para ninguém que exercícios físicos e dieta são os dois pilares para o controle de peso de qualquer pessoa, mas, quando se trata de alguém com doenças reumáticas, alguns cuidados devem ser tomados para evitar complicações.

Sedentarismo e as doenças reumáticas

A falta de elasticidade e as dores são grandes obstáculos na hora de fazer exercícios físicos, situação que pode acabar gerando um excesso de peso e complicar ainda mais os sintomas do reumatismo. Por isso, é importante você pedir ao seu médico a indicação de um exercício físico para fortalecer os músculos e diminuir os sintomas. Isso tudo, claro, associado ao seu tratamento.

O recomendado para um adulto ou idoso é fazer 150 minutos de exercícios físicos leves por semana. Entretanto, se você prefere exercícios mais intensos e vigorosos, 75 minutos semanais são suficientes, conforme a Organização mundial de Saúde (OMS). Se você não pode sair de casa, ainda existem muitas alternativas para praticar no conforto de seu lar. As abdominais, escadas, flexões e esteira… sua sala pode até virar um estúdio particular de zumba! O ideal é você começar com fisioterapia ou um pilates mais leve e  avance, conforme seu corpo permite, porém, nunca faça nenhum tipo de exercício sem autorização médica.

Dieta para pessoas com reumatismo

A alimentação é outra importante aliada que o portador de doenças reumáticas deve ter, pois quando equilibrada, ajuda a aliviar os sintomas como dor, inchaço, rigidez nas articulações e inflamação.

Como o acúmulo de ácido úrico no tecido é o causador das dores e inflamações, evite carnes no geral, já que contribuem para acumular ácido no sangue. Duas ou três vezes por semana é suficiente para uma dieta equilibrada. Prefira alimentos ricos em gorduras boas, como ômega-3 e ômega-6, presentes em nozes, sementes, abacate e aveia.

Uma boa pedida também é ingerir alimentos com propriedades anti-inflamatórias. A lista é longa: açaí, mirtilo (blueberry), maçã e jabuticaba. As  pessoas que sofrem de reumatismo, em geral, devem abusar das frutas. Já, para manter os ossos fortes, será necessário bastante cálcio, sendo que o leite, brócolis, couve e chia são alimentos que ajudam nessa questão.

Medicamentos para reumatismo

Na maioria das vezes, o tratamento para as doenças reumáticas é feito com medicação sob prescrição médica. Se você quer saber mais sobre esses medicamentos, veja nosso post sobre remédios usados neste tipo de tratamento.

A cortisona (ou corticosteroide) está presente em alguns tratamentos de reumatismo, principalmente em artrite e gota, podendo gerar alguns efeitos desagradáveis, como o aumento do apetite e a redistribuição de gordura no corpo, caso seja usada em longo prazo. Logo, se você usa este tipo de medicamento, deve ter atenção redobrada, se não quiser  ganhar peso. Antes de tomar qualquer atitude, consulte um médico para saber os melhores alimentos, exercícios e tratamentos específicos. Lembre-se que cada caso é diferente e existem muitas variáveis para considerar. Se tiver dúvidas ou sugestões,  fique à vontade para conversar conosco por e-mail (smmg@ammgmail.org.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *