Uso de medicamentos biológicos para doenças reumatológicas

medicamentos biologicos

Os medicamentos biológicos ou biofármacos são considerados produtos inovadores para o tratamento farmacológico de doenças crônicas como o câncer, psoríase, diabetes mellitus, e também as enfermidades reumatológicas autoimunes lúpus, artrite reumatoide e espondiloartrites.

Os biofármacos se diferenciam das medicações sintéticas pelos aspectos, como matéria prima, complexidade molecular e forma de atuação.

Os medicamentos convencionais são fabricados com manipulação química de substâncias em laboratório. A produção gera moléculas pequenas com ação em múltiplos locais,  frequentemente administradas por via oral ou na forma de cápsulas.

Em contrapartida, os medicamentos biológicos podem ser obtidos, a partir de células modificadas geneticamente ou de material biológico, extraídos de microorganismos, órgãos e tecidos de origem vegetal ou animal, sendo gerados a partir dessa matéria prima, proteínas com uma estrutura mais complexa que atingem especificamente as moléculas do sistema imunológico, responsáveis pelo surgimento da doença.

Os biofármacos são produzidos por organismos vivos e, frequentemente, administrados por injeção ou infusão e, devido a sua instabilidade, precisam ser manipulados e armazenados, cuidadosamente, para não sofrerem degradação.

Medicamentos biológicos e doenças tratadas

Os medicamentos biológicos são divididos em oito classes e tratam diversas doenças, conforme a tabela abaixo:

 

Classes

 

 

Medicamentos

 

      Principais doenças tratadas

Hormônios Insulina, hormônio do crescimento Diabetes Mellitus, nanismo
Citocinas Interferonas, interleucinas Hepatites B e C, leucemia, esclerose múltipla, artrite reumatoide
Fatores de Crescimento Eritropoietina, fator de crescimento de leucócitos Anemia secundária à insuficiência renal e quimioterapia do câncer
Fatores de Coagulação Fatores anti-hemofílicos A e B Hemofilia
Heparinas Heparina, enoxaparina, dalteparina Tromboembolismo, embolia pulmonar
Trombolíticos Alteplase, Reteplase Infarto do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais
Anticorpos monoclonais Trastuzumabe, bevacizumabe Câncer, artrite reumatoide
Proteínas de fusão Etanercepte, abatacepte Artrite reumatoide, psoríase

Medicamentos biológicos na Reumatologia

O tratamento das doenças reumáticas autoimunes apresentou uma progressiva melhora ao longo dos últimos dez anos com a contribuição das terapias biológicas ou imunobiológicos.

Os medicamentos para artrite reumatoide e lúpus podem substituir as altas doses de corticoides presentes em alguns medicamentos para tratamento dessas enfermidades.

O Brasil já tem medicamentos imunobiológicos aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para tratamento de artrite reumatoide, artrite idiopática juvenil, espondilite anquilosante, artrite psoriásica e psoríase. Os remédios  atuam na indução da remissão clínica, redução da inflamação e na progressão de danos articulares estruturais e funcionais.

O médico Reumatologista é o responsável pela avaliação do estágio e intensidade da doença, assim como o histórico do tratamento e a existência de comorbidades que poderão gerar efeitos adversos na utilização de um biofármaco. Apenas após a realização de um diagnóstico detalhado é feita a indicação e/ou administração do medicamento na dosagem e pelo período adequado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *